ARTE EM LIBRAS: Escola de Paracatu cria um “muro da inclusão”

#PraCegoVer - ao fundo muro branco pintado com desenhos do alfabeto brasileiro de libras

ARTE EM LIBRAS: Escola de Paracatu cria um “muro da inclusão”

De A a Z, o alfabeto brasileiro de libras é tema de projeto educacional

 

Educação, arte e inclusão foram estampadas em muro da Escola Municipal Cacilda Caetano de Souza, no bairro JK. A instituição de ensino expôs bastante criatividade, durante uma reforma. O artista Iuri Sooli, que até o momento só trabalhava com tatuagens, recebeu esta nobre missão. Quem passa pela rua tem agora a oportunidade de admirar um painel temático no muro da instituição, com o alfabeto brasileiro de libras.

A prefeitura de Paracatu está realizando diversas reformas nas escolas municipais e a EMCCS quis inovar, tornando o muro temático. A supervisora da escola, Jerônima Dantas, conta que a ideia surgiu no início do ano letivo, durante reunião com os professores. “O tema está relacionado ao trabalho da inclusão que a escola já realizava. Só pudemos desenvolver a pintura agora em junho, pois fomos surpreendidos pela pandemia. Em parceria com o artista Yuri Sooli, conseguimos expressar nosso sentimento, de que estamos preparados para acolher todas as pessoas”, disse.

Para o artista e tatuador Iuri Sooli, participar desse projeto foi um momento especial. “A arte em si é inclusiva e proporciona a variedade linguística, une todas as vozes. Então, meu trabalho vem se harmonizar à ideia da escola. Desenho é grito, libertação, energia”, define.

 

De acordo com o diretor da escola, Diego Resende, o painel demonstra para a cidade que a educação municipal está preparada para atuar com a diversidade. “Temos como foco ampliar nosso horizonte e os desenhos reforçam a ideia de que a nossa escola trabalha com a inclusão. Quando o indivíduo pode falar, ele expõe o que pensa, e assim ele constrói seu próprio conhecimento e ganha seu espaço no mundo”, diz. A criação do mural temático contou com o apoio da Secretaria Municipal de Educação.

Interessada em aprender libras, a aluna do nono ano, Thalita dos Santos Ferreira, de 14 anos, diz ter gostado muito. “Passei na porta da escola e fiquei treinando, é muito legal. Com este projeto, podemos colocar em prática tudo que foi ensinado na escola sobre a inclusão social e os alunos especiais podem aprender também com a gente”, conta.

Para Edson Pablo Mendes Rodrigues, de 14 anos, o novo visual do muro fala pra comunidade o que acontece dentro da escola. “O muro é um determinante de espaço é a comunicação com os demais”, diz.

Para ele, conversar com a comunidade é ensinar para os alunos, e para quem está de fora que os espaços são para todos. “Aqui se conversa de todas as formas. Isso é aprendizado. Compreender as variadas formas de comunicação. Somos uma comunidade que expressa, discute e chegamos num consenso: nenhum a menos. Todos atuando”, finaliza. 

 

ASCOM/SEGOV 

Prefeitura de Paracatu 

Mais trabalho. Novas realizações.






VER TODAS NOTÍCIAS

Deixe um Comentário