CURA: Em tempos de pandemia do novo coronavírus, existe a recuperação, uma grande vitória

Do susto ao alívio, pacientes que estão curados da Covid-19 se despedem do Hospital Municipal com festa

CURA: Em tempos de pandemia do novo coronavírus, existe a recuperação, uma grande vitória

Emoção ao ser curada da Covid-19 e voltar para casa com a sua Valentina, no colo.

O município de Paracatu fechou o boletim da Covid-19 desta sexta-feira (14) com 624 casos recuperados, dos 859 confirmados. Mais do que números e estatísticas, existem vidas, sentimentos à flor da pele, tanto de quem é cuidado, quanto de quem cuida. Em cada alta registrada no Hospital, é uma festa de pacientes e de toda a equipe da linha de frente desta pandemia.

 

E hoje, três pacientes deram um salto: do susto ao alívio e à esperança. Com a filha no colo, voz embargada de muita emoção, Silvania Pinheiro da Silva Rodrigues, do município de Dom Bosco, saiu do hospital hoje (14). Ela deu entrada no hospital 10 de agosto, entrou em trabalho de parto e foi curada da Covid-19. “Foi uma vitória maravilhosa, é inexplicável, como a equipe do hospital agiu com competência e me deixou tranquila o tempo todo. Não estava programado para a bebê nascer e nasceu a minha Valentina. Me acolheram muito rápido, no momento certo. Se fosse uma nota de 0 a 1.000, eu daria a nota máxima para o hospital”, diz.

Silvania, que é agente de saúde em Dom Bosco, enfrentou um grande desafio, aos 38 anos, na primeira gestação. Ela apresentou quadro de síndrome gripal com tosse e febre e foi diagnosticada com Covid-19. Chegando ao Hospital Municipal de Paracatu, fez o exame novamente e deu positivo. Acredita que foi infectada no posto, onde trabalha. “É tudo um aprendizado, Vou ficar mais atenta, lavar mais as mãos e reforçar esta lição para o meu povo, da cidade, onde moro. Até brigar se for preciso, para que não aconteça com eles e todos valorizem mais a suas vidas”, diz.

O pastor Valdir Ferreira de Souza é ministro do Evangelho em Dom Bosco. Ele conta que trabalha com muitas pessoas na igreja. “Seguimos, radicalmente, todas as recomendações e protocolos do Ministério da Saúde, não tenho a mínima ideia de como e onde fui infectado”.

Valdir relata que os sintomas iniciaram há uns 15 dias. “Tive um resfriado e procurei a UBS de Dom Bosco. Foi feito o coquetel que iniciei logo no início, mas a doença progrediu. Os médicos da minha cidade foram muito eficientes e me encaminharam para o Hospital em Paracatu. Fui diagnosticado um dia após a internação. Até então, era apenas suspeito. Mas o quadro já era bastante grave. Fui levado para o quarto perto da Uti para facilitar eventuais necessidades como por exemplo, intubação. Fui monitorado por aparelhos e fisioterapeutas,  enfermeiros, técnicos e médicos o tempo todo”.

Valdir elogiou o atendimento no hospital. “Foi rápido e extraordinariamente eficiente. Tiveram agilidade, humanidade e grande profissionalismo. Da recepção à alimentação, não tenho queixas, somente gratidão. Os munícipes de Paracatu têm muita sorte. Tenho este momento da minha vida como um renascimento, uma nova chance e aprendizado, do quanto a companhia de pessoas queridas são importantes. Uma situação que faz qualquer ateu acreditar num Deus que é médico dos médicos. É Senhor da vida. Quem dá e quem tira”, declara.

Valdir pegou estrada hoje de volta a Dom Bosco e seguirá em repouso, obedecendo todas as recomendações médicas, fazendo inalação e fisioterapia pulmonar todos os dias. “Estou rodeado de amor. Me alimento nas horas certas e estou em repouso e isolamento domiciliar”, conclui.

Tosse, perda do paladar e olfato, fata de ar e febre, estes foram os sintomas de Maria Zulmira Tavares, de 48 anos. Ela deu entrada no HMP no dia 07/08. Por meio de coleta PCR, foi diagnosticada no dia 08/08 e recuperada. Também recebeu alta hoje (14). “Fiquei oito dias na enfermaria e fui muito bem atendida. A equipe me abraçou, sem nenhum preconceito, os profissionais oferecem um atendimento humanizado. Foi uma vitória, pois, é horrível não conseguir respirar e depender de oxigênio e os profissionais que me atenderam foram uma glória do Senhor”, conclui.

De acordo com o superintendente de administração do Hospital Municipal, Marcelo Otávio Andrade, estas vitórias diárias devem ser muito comemoradas. “É uma alegria de todos os servidores, um trabalho em equipe, com muita técnica, sintonia e humanização. Nossos profissionais têm conhecimento amplo e passam segurança para os pacientes, o que faz com que eles se sintam motivados e assim facilita a cura. Temos muito orgulho de cada um técnico de enfermagem, fisioterapeuta, enfermeiro, médico, a equipe dos serviços gerais, todos fazem parte do processo vitorioso que estamos conquistando a cada dia”, finaliza.

 

 

 

VER TODAS NOTÍCIAS

Deixe um Comentário