Paracatu notifica Secretaria de Estado de Saúde sobre critérios para a distribuição de doses de vacina

De acordo com documento, Patos de Minas recebeu 167% doses a mais do que Paracatu, mas tem população apenas 63% maior

Paracatu notifica Secretaria de Estado de Saúde sobre critérios para a distribuição de doses de vacina

#ParaTodosVerem - Fundo verde e dizeres em branco: Paracatu questiona SES sobre doses de vacinas



A prefeitura de Paracatu notificou a Secretaria de Estado de Saúde (SES) sobre a discrepância entre o quantitativo de doses de vacinas entregues à cidade em relação a outros municípios da região.

 

Protocolado na segunda-feira (26), o documento foi direcionado ao Secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti. Também são destinatários do termo a Gerência Regional de Saúde de Unaí e o Ministério Público de Minas Gerais. A este, a prefeitura solicita auxílio para verificação da discrepância constatada.

 

Localizada no noroeste de Minas Gerais, Paracatu tem 93.862 habitantes e recebeu até agora 18.612 doses de vacinas contra a Covid-19.

 

Com cerca de 153 mil habitante, Patos de Minas tem uma população 63% superior a população de Paracatu. Contudo, recebeu 49.700 doses de imunizantes contra a Covid-19, quantitativo 167% maior ao recebido por Paracatu.

 

Segundo o documento da prefeitura de Paracatu, a diferença não se justifica quando é observado o critério da aplicação das doses recebidas. De acordo com o termo, Paracatu aplicou 87,30% das doses recebidas, enquanto a cidade vizinha aplicou 82,02% do quantitativo recebido.

 

A Prefeitura de Paracatu também aponta uma discrepância em relação à cidade de Patrocínio. Com cerca de 91 mil habitantes, Patrocínio recebeu 5 mil doses a mais do que Paracatu.

 

De acordo com o ofício da prefeitura de Paracatu, os critérios populacionais e velocidade de aplicação das doses não estão sendo considerados na distribuição e entrega dos imunizantes. O termo denuncia a falta de isonomia na distribuição e entrega das doses: “No atual cenário, que é desafiador para todos os gestores públicos municipais do Estado de Minas Gerais, espera-se minimamente um tratamento isonômico no momento de distribuição dos imunizantes”, diz o documento.

 

O ofício solicita que a SES e a GRS expliquem o critério para distribuição de doses entre os municípios mineiros; a lentidão no envio do novas doses a Paracatu; e a discrepância de doses recebidas existente entre os municípios de Paracatu, Patos de Minas e Patrocínio.

 

Assessoria de Comunicação

Um Novo Tempo Para Todos

VER TODAS NOTÍCIAS

Deixe um Comentário