Projeto “A Escola vai ao Quilombo” é lançado em Paracatu

#Descriçãopracegover - Na imagem, o Prefeito Olavo Condé, esta ao lado de membros da comunidade Quilombola.

Projeto “A Escola vai ao Quilombo” é lançado em Paracatu

Alunos do Pré Escolar Municipal Pequeno Polegar e do Colégio Dom Elizeu participaram na manhã desta terça-feira, 26 de setembro, na Comunidade Quilombola do São Domingos, do lançamento do projeto “A Escola vai ao Quilombo”. 

Iniciativa da Prefeitura Municipal de Paracatu, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo o lançamento do projeto contou com a presença do Prefeito Municipal de Paracatu, Olavo Remígio Condé, do secretário de Cultura e Turismo, Isac Arruda, da Diretora Presidente da Fundação Municipal Casa de Cultura, Graciele Mendes, além de professores, servidores e membros da comunidade quilombola.

Pelo projeto, as escolas poderão levar os alunos para conhecer a comunidade com a intenção de fomentar e difundir o potencial cultural e turístico das comunidades quilombolas, oferecendo como resultado final a revitalização da memória cultural, haja vista a sua grande significância para a história do nosso município que atualmente possui cinco comunidades quilombolas reconhecidas pela Fundação Palmares, sendo elas, Machadinho, São Domingos, Família dos Amaros, Cercado e Porto Pontal.

Durante o lançamento, conduzido pela personagem da historiadora Terezinha Guimarães, a Vó Tereza, o público presente conferiu apresentações artísticas dos alunos do Pré escolar Pequeno Polegar, dança do grupo de Maculele e da Capoeira Feminina da Fundação Municipal Casa de Cultura.

A história da comunidade foi apresentada também por uma das moradoras da comunidade dona Magna Aparecida dos Reis Solto, que recebe de braços abertos todos que desejam conhecer seus costumes e histórias. “É um grande prazer recebê-los, temos várias histórias para contar, principalmente o meu pai, o senhor Aureliano Lopes dos Reis, que tem 105 anos, foi aqui onde ele criou os dez filhos. Muitos não conhecem a nossa história, mas temos um orgulho imenso dela. As pessoas que nos visitam, principalmente grupos de estudantes, vão conhecer aqui muitas coisas que eles nem sabiam que existiam”, exalta dona Magna.

O secretário de Cultura e Turismo, Isac Arruda, agradeceu o apoio do Prefeito Olavo Condé e de todos os parceiros, e ressaltou que é preciso conhecer mais a nossa cidade. “O cidadão paracatuense tem que viver mais a sua história. Temos que aprender a vivenciá-la, esse é um fator extremamente necessário para que consigamos vender a nossa cidade e torná-la turística”. Segundo o secretário, iniciativas como estas propagam a cultura e as tradições do município. “Esse tipo de turismo, chamado de pedagógico, proporciona aos nossos estudantes experimentar algumas situações que os tornem agentes divulgadores do nosso turismo”.

Na oportunidade, o Prefeito Municipal de Paracatu, Olavo Remígio Condé, agradeceu a presença de todos e destacou o trabalho de toda a equipe que idealizou o projeto. “Tenho a felicidade de administrar este município que é tão rico em história. A comunidade Quilombola é uma prova viva que temos que valorizar. Projetos como este cultivam a troca de experiência entre a comunidade e os alunos. E os estudantes têm o papel importantíssimo de repassar essas memórias”.

Breve história da Comunidade Quilombola de São Domingos

Reconhecida como quilombola pela Fundação Cultural Palmares em 2004, a comunidade possui cerca de 300 casas, quase todas pertencentes aos descendentes dos primeiros moradores do quilombo, à época escravos livres que resolveram permanecer na região. 

Segundo a moradora Romilda de Fátima, três grupos familiares formaram a comunidade: os Ferreira, os Lopes e os Mendanha. De acordo com seu relato, o primeiro casal a fixar moradia no local foi Josefa Caldeira e Manuel Lopes.

O nome São Domingos foi escolhido quando uma grande epidemia de febre atingiu os moradores, que pediram ao santo que os socorressem. O pedido foi prontamente atendido, segundo os quilombolas, e São Domingos tornou-se padroeiro e nome da comunidade. Em 2004, a comunidade foi reconhecida como quilombola pela Fundação Cultural Palmares. 

ASCOM/SEGOV

Prefeitura Municipal de Paracatu

Mais trabalho, novas realizações.

VER TODAS NOTÍCIAS

Deixe um Comentário